Evolução Das Impressoras

Evolução Das Impressoras

Devido a sua maior qualidade de impressão esse modelo se tornou um dos mais populares perdendo a vez somente para as impressoras mais modernas. As impressoras 3D provam a cada dia que o futuro, se não chegou, está bem próximo. São capacitadas para imprimir objetos tridimensionais, feitos através de resina plástica e modelagens com laser.

É o coração da máquina de impressão, o local onde ocorrerá a transferência da imagem para o suporte (impressão). Essas máquinas foram por muito tempo de difícil manejo, devido à falta de recursos, e principalmente pela instabilidade do seu funcionamento. Atualmente ainda existem máquinas fabricadas em 1920 que imprimem excelentes trabalhos.

A Impressão no processo digital tem muitas vertentes, consiste em enviar uma impressão à um dispositivo eletrônico de impressão ligado a um computador fazendo então uma impressão direta. As chapas são geradas em forma de grafica ribeirao preto matriz divididas por cores enviadas para gravação direta do PC como uma impressão digital. Desde o tempo da invenção de Gutenberg até o início do século XVII, não houve grandes mudanças na forma utilizada para impressão.

O objetivo do prêmio é reconhecer e estimular a arte de produzir com qualidade. Como podemos ver, não foi fácil chegar até aqui, no ápice do desenvolvimento tecnológico com o lançamento da HP Multifuncional Ink Advantage ULTRA, capaz de imprimir milhares de excelentes documentos de rotina e fotos sem margem.

Impressão Na Madeira

Este procedimento é chamado de xilografia e consiste em fazer a impressão com a ajuda de tábuas de madeira. Esta placa de madeira é esculpida e para imprimir é necessário passar tinta em cima e depois “carimbar” o conteúdo na superfície desejada. Ou seja, não necessitamos nem de fotolito, nem tão menos de chapas de impressa. Desde a invenção dos tipos móveis de Gutenberg, em que os textos impressos eram montados letra por letra, até a chegada da impressão digital, o caminho se constitui longo e emblemático. Afinal, quando o alemão inventou a impressa, por volta de 1450, o meio de comunicação impressa tornou-se o maior aliado do conhecimento humano, ou seja, a sua divulgação, pois ele passou a ser alcançado por todos. Sabe-se que apenas a Igreja e os feudos possuía autonomia de possuir o conhecimento científico.

Evolução da impressão

Além da utilidade, a história e evolução das impressoras é um fato muito interessante. De fato, é surpreendente observar os enormes avanços da tecnologia, mudanças que nos beneficiam tanto atualmente. Você pode imprimir, digitalizar e copiar o quanto quiser sem se preocupar se a tinta vai acabar. Esta tecnologia foi criada pelo americano Ira Washington Rubel, era um litógrafo de Nova Jersey, também foi patenteado pelo alemão Caspar Hermann, de Baltimore, Maryland, ambos nos Estados Unidos. Infelizmente está máquina não veio imediatamente para o Brasil, apenas chegou ao país tropical na década de 1920. A companhia Lithographica Ferreira Pinto, do Rio de Janeiro foi a primeira a importar uma impressora offset no Brasil, na época esta empresa atendia praticamente apenas a fábrica de cigarros Souza Cruz. Não demorou muito para uma empresa do estado de São Paulo importar o equipamento, em 1924, a Gráfica e Editora Monteiro lobato também entrou para o mercado, sendo o primeiro do setor paulista e o segundo no Brasil.

Outra novidade foi a estereotipia ou clichê adaptável, que possibilitava a confecção de páginas completas para impressão. Essas invenções permitiram aumentar a velocidade das impressões em série, cerca de mil folhas por hora, considerada alta produtividade para a época. Era possível reaproveitar os tipos ao longo do tempo, fundindo o estanho novamente e formando novos tipos.

Em todos os pontos do planeta estavam a ser realizados estudos para desenvolver máquinas cada vez mais rápidas e com melhor qualidade. De modo geral, o livro digital virou a febre dos aparelhos eletrônicos durante o século XX, marcando a história do livro. Além disso, a tecnologia possibilita a leitura no computador, notebook, tablete ou celular. A prensa móvel foi uma das invenções de impressão que marcaram a história do livro. A técnica foi desenvolvida pelo alemão Johannes Gutenberg, mas a descoberta da máquina foi do chinês Pi Sheng.

História Da Imprensa

Ademais, na Idade Média somente a nobreza e o clero tinham acesso ao livro. Isto é, o que mudou desde 6 mil anos atrás, foi apenas o material, este que foi melhorado com o desenvolvimento da tecnologia. Nos dias atuais a qualidade e o acabamento superaram todas as expectativas, oferecendo um resultado impresso condizente com o empenho criativo dos designers e editoras. Antes da impressão, todo tipo de escrita, como os desenhos e as primeiras letras, tinha que ser feita manualmente.

A saber, demorou um bom tempo para que o livro chegasse no papel que temos hoje. Foram inventados novos acessórios e chegamos a técnica de impressão offset, técnica que evoluiu diretamente da litografia. Em 1884, a linotipia foi inventada por Otto Mergenthaler, considerada um avanço excepcional para a imprensa, visto que cada peça de metal, em vez de formar uma única letra, continha todas as letras de uma linha.